Conecte-se Conosco

MARANHÃO

Com salários atrasados, trabalhadores da limpeza do hospital Socorrão II e de unidades mistas paralisam as atividades em São Luís

1 de 1
Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) — Foto: Reprodução/TV Mirante Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) — Foto: Reprodução/TV Mirante
Na manhã desta segunda-feira (20), centenas de trabalhadores do setor de limpeza do Hospital Municipal de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura (Socorrão II) e das Unidades Mistas de São Luís fizeram uma paralisação de advertência.
Compartilhe no WhatsAppCompartilhe no Telegram A categoria decidiu paralisar as atividades e..

Publicado

em

1 de 1
Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) — Foto: Reprodução/TV Mirante

Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) — Foto: Reprodução/TV Mirante

Na manhã desta segunda-feira (20), centenas de trabalhadores do setor de limpeza do Hospital Municipal de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura (Socorrão II) e das Unidades Mistas de São Luís fizeram uma paralisação de advertência.

A categoria decidiu paralisar as atividades em protesto contra os atrasos nos pagamentos de salários e outros benefícios. O movimento foi encerrado no início da tarde, após a Prefeitura de São Luís se comprometer a repassar os valores às empresas terceirizadas, para pagar os salários dos trabalhadores.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Asseio e Conservação de São Luís (SEEAC/SLZ), cerca de 370 trabalhadores de 26 unidades de saúde da capital são afetados com a falta de salários em dia.

O SEEAC/SLZ afirma que o Hospital Socorrão II está há cinco meses sem receber os repasses necessários para pagar as empresas terceirizadas, que são responsáveis pelos serviços de limpeza. O atraso no pagamento afeta diretamente os trabalhadores terceirizados, que estão sem receber seus salários, alimentação e outros direitos.

“O Sindicato dos Trabalhadores de Asseio e Conservação de São Luís (SEEAC/SLZ) denuncia uma violação clara dos direitos trabalhistas, uma vez que todo trabalhador tem o direito legal e inalienável de receber seus salários em dia. A situação é ainda mais alarmante quando se considera que esses salários representam a subsistência desses trabalhadores e suas famílias, evidenciando uma total falta de empatia por parte da administração municipal”, destaca o sindicato por meio de nota.

Durante a paralisação desta segunda, os trabalhadores se concentraram no pátio principal do Socorrão II, que fica na região do bairro Cidade Operária.

“O serviço de limpeza em hospitais, como o Socorrão II, é crucial para o funcionamento adequado da instituição de saúde e, por conseguinte, para a saúde pública como um todo. A falta de pagamento às empresas terceirizadas compromete não apenas a estabilidade financeira dos trabalhadores, mas também a qualidade dos serviços prestados, colocando em risco a saúde dos pacientes e de toda a comunidade”, afirma a SEEAC/SLZ.

O movimento estava previsto para durar o dia todo, mas foi encerrado após a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), firmar um acordo com os trabalhadores, se comprometendo e pagar parte dos salários atrasados até a próxima sexta-feira (24).

Segundo Maxwell Bezerra, presidente do Sindicato de Asseio e Conservação de São Luís, se até sexta-feira a Semus não cumprir com o acordo, a categoria vai fazer greve geral, por tempo indeterminado, a partir de sábado (25).

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1! Agora não Ativar

Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

SAIBA MAIS

Tendência