Conecte-se Conosco

MARANHÃO

Acusado de matar ex-namorada e outra mulher dentro de salão de beleza em Imperatriz é condenado a mais de 50 anos de prisão

1 de 1
Wlisses Lima Lucena matou a ex-namorada (à esquerda) e uma funcionária de um salão de beleza (à direita) — Foto: Divulgação Wlisses Lima Lucena matou a ex-namorada (à esquerda) e uma funcionária de um salão de beleza (à direita) — Foto: Divulgação
Wlisses Lima Lucena, acusado de matar a tiros a ex-namorada e uma outra mulher em um salão de beleza, foi condenado a 50 anos e um mês de prisão, na cidade de Imperatriz, na Região Tocantina.
O homem foi condenado pelos crimes de feminicídio..

Publicado

em

1 de 1
Wlisses Lima Lucena matou a ex-namorada (à esquerda) e uma funcionária de um salão de beleza (à direita) — Foto: Divulgação

Wlisses Lima Lucena matou a ex-namorada (à esquerda) e uma funcionária de um salão de beleza (à direita) — Foto: Divulgação

Wlisses Lima Lucena, acusado de matar a tiros a ex-namorada e uma outra mulher em um salão de beleza, foi condenado a 50 anos e um mês de prisão, na cidade de Imperatriz, na Região Tocantina.

O homem foi condenado pelos crimes de feminicídio, homicídio e tentativa de homicídio, crimes praticados no dia 16 de novembro de 2021. O julgamento ocorreu nessa quarta-feira (29) e foi presidido pela juíza Edilza Barros Lopes Viégas, titular da 1ª Vara Criminal de Imperatriz.

A pena foi resultado da soma das penas aplicadas em cada um dos crimes, sendo:

  • 28 anos e dez meses pela morte de Rayane da Silva Morais, de 29 anos, ex-namorada do réu
  • 16 anos e meio pela morte de Iraildes das Neves Nascimento
  • 4 anos e nove meses pela tentativa de homicídio praticado contra Andressa Pereira de Souza.

O crime

Segundo a investigação, Wlisses e Rayane tiveram um relacionamento amoroso, porém, ele não aceitava o fim do relacionamento e demonstrava sentimento de ‘posse’ em relação à mulher.

Com o término do namoro, o denunciado passou a perseguir Rayane constantemente e ameaçava de morte, chegando, inclusive, a agredi-la quando a mesma regressava de um supermercado.

Dois dias antes do crime, Wlisses já havia ido atrás de Rayane que, na oportunidade, estava acompanhada do atual namorado, que entrou em luta corporal com Wlisses. Rayane chamou a Polícia Militar, mas Wlisses não foi encontrado. Ainda no mesmo dia, Wlisses ligou para Rayane que, na ocasião, afirmou que iria até a delegacia comunicar o ocorrido, ouvindo de volta o seguinte: “Você pode ir porque mesmo assim vou te matar”.

Diante das ameaças do ex, a mulher solicitou medidas protetivas de urgência. Porém, Wlisses desrespeitou a ordem judicial e concretizou as ameaças.

No dia 16 de novembro de 2021, o denunciado foi até a residência da vítima, no bairro Nova Imperatriz, onde funcionava o salão de beleza de Rayane. Ao avistar Andressa Pereira, que era funcionária do salão, saindo do local, Wlisses, portando uma arma de fogo do tipo revólver, calibre.32, abordou-a, ordenando que entrasse no salão, perguntando onde estava Rayane.

Quando viu a ex-namorada, Wlisses efetuou vários disparos, atingindo Rayane no ragião do peito, na cabeça e na coxa. Em seguida, ele atingiu Iraildes com um tiro no peito. Rayane e Iraildes morreram no local. Por fim, ele atirou em Andressa, que caiu e fingiu-se de morta.

Wlisses foi preso em flagrante enquanto tentava fugir.

A sessão de julgamento ocorreu no Salão do Júri do Fórum Henrique de La Roque. Além da magistrada, atuaram na acusação os promotores Tiago Quintanilha e Carlos Rostão Martins. Na defesa do réu, atuou o advogado João Paulo dos Santos.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1! Agora não Ativar

Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

SAIBA MAIS

Tendência