Conecte-se Conosco

MARANHÃO

Quase 4 meses após o crime, polícia aponta militar como suspeito de matar a jovem Taís Lopes, em Codó

1 de 4
PM Ricardo Braz Oliveira é apontado como o autor do assassinato contra Taís Lopes Santos, em Codó — Foto: Arquivo pessoal PM Ricardo Braz Oliveira é apontado como o autor do assassinato contra Taís Lopes Santos, em Codó — Foto: Arquivo pessoal
Quase quatro meses após a morte misteriosa da jovem Taís Lopes Santos, de 28 anos, a Polícia Civil anunciou que descobriu quem teria cometido o crime. O suspeito é o policial militar Ricardo Braz Oliveira, que já está preso por envolvimento em out..

Publicado

em

1 de 4
PM Ricardo Braz Oliveira é apontado como o autor do assassinato contra Taís Lopes Santos, em Codó — Foto: Arquivo pessoal

PM Ricardo Braz Oliveira é apontado como o autor do assassinato contra Taís Lopes Santos, em Codó — Foto: Arquivo pessoal

Quase quatro meses após a morte misteriosa da jovem Taís Lopes Santos, de 28 anos, a Polícia Civil anunciou que descobriu quem teria cometido o crime. O suspeito é o policial militar Ricardo Braz Oliveira, que já está preso por envolvimento em outros crimes contra mulheres.

O crime contra Taís aconteceu entre o dia 8 e 9 de agosto em Codó, a cerca de 290 km de São Luís. O que se sabe é que Taís saiu de casa, no dia 8 de agosto, para ir ao trabalho e desapareceu no caminho. Após várias buscas, o corpo da jovem foi encontrado um dia depois, em uma região de mata no povoado Congumbá.

2 de 4
Taís Lopes Santos era mãe e deixa uma criança de seis anos — Foto: Reprodução/TV Mirante

Taís Lopes Santos era mãe e deixa uma criança de seis anos — Foto: Reprodução/TV Mirante

Desde então, a polícia investigava o crime, mas o caso era considerado complexo, pois não teve testemunhas. Além disso, Taís era mãe de uma criança de seis anos e não tinha antecedentes criminais, ou inimigos.

As poucas informações indicavam que o criminoso raptou Taís ainda no trajeto ao trabalho e usou de violência antes do assassinato, já que foram encontrados ferimentos pelo corpo, cabeça e tórax. Depois disso, o assassino decidiu deixar o corpo em um local ermo para dificultar que fosse achado.

3 de 4
Maria Lindinalva Carvalho foi morta após pegar um carro quando esperava por transporte em uma rodovia — Foto: Arquivo pessoal

Maria Lindinalva Carvalho foi morta após pegar um carro quando esperava por transporte em uma rodovia — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil acionou diversos órgãos para coletar dados sobre Taís e montou uma força tarefa com diversos delegados até que confirmou que o autor é mesmo Ricardo Braz Oliveira, de 42 anos, que já está preso pela morte de Maria Lindinalva Carvalho, no dia 14 de setembro, em Miranda do Norte.

O PM Ricardo Braz Oliveira é da cidade de Caxias e lotado, atualmente, no 29º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Zé Doca. Ele segue preso no Quartel da Polícia Militar, em São Luís.

4 de 4
Policial militar é investigado por suspeita de roubar e matar mulher no interior do MA e praticar assaltos contra outras mulheres — Foto: Divulgação

Policial militar é investigado por suspeita de roubar e matar mulher no interior do MA e praticar assaltos contra outras mulheres — Foto: Divulgação

Os levantamentos policiais apontam que o PM usava o mesmo modus operandi com as vítimas. Ele abordava mulheres desacompanhadas, que estavam em pontos de parada em rodovias.

Na ocasião, o PM se apresentava como profissional que atua no ramo de lotações e viagens (corridas) e perguntava para onde a mulher pretendia ir. O policial, então, combinava um valor para deixar a vítima e, após ela entrar no veículo, ele anunciava o assalto e, em alguns casos, as mulheres morreram.

50 vídeos

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1! Agora não Ativar

Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

SAIBA MAIS

Tendência