Crise no Inep: servidores reúnem denúncias de assédio e intervenção e entregam ao TCU e à CGU

Advertisements


Às vésperas do Enem, grupo afirma que órgão vive 'crise sem precedentes, com perseguição aos servidores, assédio moral, uso político-ideológico da instituição pelo MEC e falta de comando técnico'. Inep não se manifestou. Provas do Enem
Divulgação
Servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reuniram em um documento, nesta sexta-feira (19), uma série de denúncias de assédio e interferência, em meio à crise vivida pelo órgão, às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorre neste domingo (21).
O documento, de 36 páginas, foi compilado pela Associação dos Servidores do Inep (Assinep) e entregue a entidades e órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria-Geral da União (CGU).
Segundo os servidores, o instituto vive uma "crise sem precedentes, com perseguição aos servidores, assédio moral, uso político-ideológico da instituição pelo MEC e falta de comando técnico no planejamento dos seus principais exames, avaliações e censos".
Questionado sobre o relatório, o Inep não havia se manifestado até a última atualização desta reportagem.
*Esta reportagem está em atualização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *