Enem 2021: 1º dia de provas acontece neste domingo; estudantes relatam dificuldades para estudar durante pandemia

Advertisements


Estarão disponíveis as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias e redação; ciências humanas e suas tecnologias; confira os horários. Enem 2021: 1º dia de provas acontece neste domingo; estudantes relatam dificuldades para estudar durante pandemia
Reprodução/Redes sociais
O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acontece neste domingo (21), tanto para a versão impressa, quanto digital. Os portões abrem às 12h, fecham às 13h e as provas iniciam às 13h30. A partir das 15h30 é possível deixar o local sem o caderno de questões, no caso de quem optou pela versão impressa.
Enem 2021: confira horários, o que pode e o que não pode levar ao local de prova
Compartilhe esta notícia no Whatsapp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Conforme informação publicada no Diário Oficial da União (DOU), a prova digital será aplicada em locais autorizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O participante deverá comparecer ao local de prova determinado pelo instituto, para realizar o exame. Não será possível fazer a prova em computador particular.
Os candidatos farão neste domingo as provas de Linguagens, Códigos e suas tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; e a redação. Já no dia 28 de novembro, estarão disponíveis as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.
Na Bahia, 239.101 pessoas se inscreveram para participar do exame este ano, segundo informações do Inep. Desse total, 237.050 pessoas optaram por realizar a prova de maneira impressa, enquanto 2.051 baianos escolheram a versão digital do exame.
Em Salvador, 50.884 pessoas farão o Enem. Desse total, 49.164 se inscreveram na prova impressa e 1.720 na versão digital.
Dificuldades para estudar na pandemia
Stephany Hellen, de 21 anos, vai fazer o Enem pela quarta vez
Arquivo Pessoal
A baiana Stephany Hellen, de 21 anos, vai fazer o Enem pela quarta vez. Ela é técnica em enfermagem, mas atualmente trabalha como auxiliar administrativa, e pretende cursar enfermagem na faculdade para se especializar ainda mais na área.
"Já fiz várias vezes para treinar apenas. Agora vou fazer valendo", disse.
Stephany disse que tinha que organizar os horários para se dividir entre o trabalho e os estudos. Ela relata que durante a pandemia foi difícil para conseguir focar, já que estudou de maneira remota.
"Não me sinto 100% preparada, mas esse ano estudei o máximo que pude, porque tive que trabalhar também", afirmou.
"Querendo ou não a pandemia acaba atrapalhando um pouco, pois estava estudando de modo remoto, alguém chega em casa, tira o foco", comentou.
Pedro Vieira, de 16 anos, vai fazer o Enem pela primeira vez como "treineiro"
Arquivo Pessoal
Já o estudante Pedro Vieira, de 16 anos, vai fazer o Enem pela primeira vez como "treineiro". Ele está no segundo ano do ensino médio e deseja cursar medicina ou biologia.
Segundo Pedro, a maior dificuldade para ele foi conseguir conciliar os estudos do colégio com a preparação para o Enem.
"Ironicamente minha maior dificuldade foi a escola, porque o colégio prepara muito para o Enem, tem até aulas de oficinas para o exame, mas eu fiquei muito ocupado com a escola e lembrei disso [Enem] no meio do ano, que foi quando comecei a estudar, de fato", explicou.
Para Pedro, as oficinas realizadas no colégio ajudaram a revisar os conteúdos, principalmente temas que ele não recordava. Além disso, ele destacou que prefere estudar de maneira presencial.
"Aula remota eu não consigo me concentrar, presencial é bem melhor, consigo entender melhor as matérias", afirmou.
Apesar de ter tomado as duas doses da vacina contra Covid-19, ele diz que segue se protegendo e que vai redobrar os cuidados durante a realização das provas. "Temos que tomar cuidado sempre, porque todo cuidado é pouco", destacou.
Isabele Carvalho, de 17 anos, também vai fazer o Enem pela primeira vez
Arquivo Pessoal
A estudante Isabele Carvalho, de 17 anos, também vai fazer o Enem pela primeira vez. Diferente de Pedro, que fará para treinar, ela vai fazer "para valer".
Isabele está no terceiro ano do ensino médio e deseja cursar psicologia. Ela diz que pretende atuar na parte clínica.
Ela também relatou ter sido complicado estudar de maneira remota durante a pandemia do novo coronavírus.
"Foi bem complicado estudar de maneira remota, porque já pulei para o terceiro ano, 'sem ter' o conteúdo do segundo. É algo que sei que vai me prejudicar no futuro, mas tentei recuperar esse tempo perdido com 'cursinho' pago. Não me sinto super segura ainda, mas deu uma ajuda", disse.
"Logo quando se instaurou a quarentena, nós da rede estadual ficamos sem ter nenhuma aula. Quando retornamos quem estava no segundo ano do ensino médio em 2020 só teve basicamente duas unidades para a conclusão do ano letivo, que levou aproximadamente um mês. Depois disso iniciou-se o ano letivo de 2021 e já começamos no terceiro ano", explicou.
Segundo Isabela, ela irá tomar todos os cuidados para realizar as provas de maneira segura, fazendo uso de máscara, álcool em gel, além de respeitar o distanciamento social.
Veja mais notícias do estado no g1 Bahia.
Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia 💻
Ouça 'Eu te Explico' 🎙️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *