EUA aceitarão Coronavac para permitir entrada de viajantes internacionais

Advertisements


Autoridades de saúde do país esclareceram que autorização a entrada de quem está completamente imunizado com qualquer vacina com o uso emergencial aprovado pela OMS, caso da CoronaVac. Retomada do turismo deve ocorrer a partir de novembro. Frascos com doses das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca e da CoronaVac
Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo
O governo dos Estados Unidos esclareceu nesta sexta-feira (8) que vai aceitar a entrada de estrangeiros que tenham tomado qualquer vacina contra a Covid-19 aprovada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Com isso, quem tomou a CoronaVac, imunizante que no Brasil é produzido no Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, também poderá entrar em território americano.
Até então, os EUA haviam suspendido todas as restrições de viagens internacionais para adultos estrangeiros completamente vacinados contra o coronavírus a partir de novembro. Porém, o governo americano não havia detalhado quais vacinas entravam na lista.
O site da autoridade de saúde americano havia apenas feito uma ressalva, dizendo que a abertura poderia incluir imunizantes com uso emergencial autorizado pela OMS e citou a vacina de Oxford/AstraZeneca, adotada no Brasil. Não havia, porém, menção alguma à CoronaVac.
Os EUA adotam os imunizantes da Pfizer, da Janssen e da Moderna — essa última ainda não adotada no plano de vacinação brasileiro.
Retomada das viagens internacionais
As vacinas entram na discussão sobre a reabertura dos países a visitantes estrangeiros porque cada país definiu as regras de uma maneira e a cada momento os governos fazem novas decisões sobre quais condições para cada visitante.
Via de regra, os países têm autorizado a entrada de visitantes que tenham tomado as vacinas autorizadas naquele país. Porém, aos poucos, tem havido uma flexibilização.
Na Europa, por exemplo, mesmo países que não adotam a CoronaVac decidiram aceitar viajantes que tenham tomado o imunizante. É o caso de Espanha, Finlândia e Suíça. Outros, como o Reino Unido e a França, ainda não emitiram essa autorização.Original CURIOSIDADES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *