Venezuelano concilia trabalho voluntário em abrigo, aulas da faculdade e 4h de estudo para passar no Enem

Advertisements


José Antônio Tirano mora no Acre há três anos e tenta conciliar rotina intensa de estudos, trabalho em abrigo e aulas do curso de direito em uma faculdade particular. José Antônio Tirano concilia estudos para o Enem com trabalho e aulas da faculdade
Arquivo pessoal
Quatro horas diárias de estudo, trabalho voluntário em um abrigo de imigrantes e aulas em uma faculdade particular. É com muito esforço, foco e uma dedicação especial à língua portuguesa para tirar uma ótima nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que o venezuelano José Antônio García Tirano, de 28 anos, tem se preparado para as provas.
Morando no Acre há três anos, o estudante vai fazer pela segunda vez o teste no próximo domingo (21) em Rio Branco, capital acreana. Ele é um dos mais de 20 mil inscritos no Acre para a fazer a prova este ano.
LEIA TAMBÉM:
Acre tem quase 2 mil participantes no Enem 2021 após reabertura de inscrições para isentos
Enem 2021 tem 18,3 mil de inscritos confirmados no Acre, menor número desde 2013
Acre tem mais de 20,8 mil inscritos no Enem 2021 após reabertura para isentos e pessoas privadas de liberdade
O venezuelano fez o Enem a primeira vez em 2020 e obteve nota abaixo de 500 pontos. Assim, ele conseguiu uma bolsa parcial para cursar direito em uma faculdade particular de Rio Branco. Há quatro meses, quando abriram as inscrições para o exame, o rapaz passou a se dedicar novamente e estudar para as provas.
O sonho de Tirano é estudar direito na Universidade Federal do Acre (Ufac). “Sempre tive um amor pelas leis, pela legislação, sempre chamou minha atenção e, infelizmente, em meu país não consegui fazer, talvez, pela política. Mas, aqui o Brasil me deu a oportunidade de cursar direito e estou abraçando a carreira e apreendendo muito a cada dia em diversas áreas. Então, atualmente me sinto muito emocionado de cursar direito e, se Deus quiser e conseguir a pontuação, gostaria de estudar na Ufac”, destacou.
É pensando em uma vaga na universidade que o estudante se prepara para o teste. Ele concilia as horas do dia no trabalho, faculdade e estudo para o Enem. Tirano trabalha como voluntário em um espaço que abriga imigrantes na capital acreana. À noite, de segunda a quinta, ele tem aula na faculdade de direito e, após as aulas, estuda para o exame.
Essa é a rotina dele há quatro meses. Ele acredita que deveria ter se dedicado mais às provas do Enem, mas destaca que tem se esforçado e espera tirar uma nota melhor da que tirou na primeira prova e conseguir entrar na Ufac.
"Meu sonho é passar no Enem com uma nota boa. Mas, como estou conciliando o Enem com a faculdade, talvez, não tive uma dedicação maior para estudar. Vou continuar fazendo o meu melhor", complementou.
Diferente de 2020, as versões impressa e digital serão aplicadas nas mesmas datas (21 e 28 de novembro) e terão perguntas iguais. O Enem digital será exclusivo para quem já concluiu o ensino médio ou está concluindo essa etapa em 2021. No Acre, as provas serão aplicadas em 17 municípios.
Venezuelano que mora no Acre vai fazer o Enem pela segunda vez
O venezuelano a Tirano saiu da Venezuela há cinco anos fugindo, assim como milhares de venezuelanos, da crise política e econômica do a
Dificuldades
José Antônio Tirano saiu da Venezuela há cinco anos fugindo, assim como milhares de venezuelanos, da crise política e econômica que se instalou no país. Durante uma busca por um novo lar, ele ficou dois anos no Peru e atualmente vive no Acre.
À Rede Amazônica Acre, o estudante revelou que a maior dificuldade enfrentada até o momento na preparação para as provas foi a língua portuguesa. "Tive uma dificuldade quando cheguei no país, mas cada dia vou aprendendo um pouco. Tive algumas dificuldades em outras disciplinas também, mas, como sempre estou lendo e estudando, acho que é mais fácil encarar”, frisou.
O venezuelano explicou que comprou vária apostilas, estuda com provas antigas e lê muito livros para entender bem o português. Contudo, ele diz que interpretar e conversar em português continua sendo o maior desafio.
"A faculdade também exige um nível de fala e interpretação em português. Fui falando e acompanhando um pouco. Hoje, o português continua sendo a maior dificuldade para mim com relação à aplicação de verbo, presente, passado e futuro. Às vezes, quero falar algo no presente e falo no passado.
Tirano conta que leu muito sobre redação e acessou provas aplicadas em anos anteriores. "Tenho um pouco de dificuldades também nisso", concluiu.
Cronograma
Cartão da Inscrição: após o dia 25 de outubro
Aplicação das Provas: 21 e 28 de novembro
Gabarito: 2 de dezembro
Cartão da Inscrição (novos inscritos e PPL): Após o dia 06 de dezembro
Aplicação das Provas (novos inscritos e PPL): 09 e 16 de janeiro
Gabarito: 20 de janeiro
Resultado: data a definir
Reveja os telejornais do Acre

" class="prev-article">Previous article

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *